quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Trump e a intolerância dos tolerantes


A vitória de Trump revelou a intolerância dos tolerantes, como muito bem analisa o Carlos M. G. Martins no artigo publicado hoje no «Sol», concluindo: "Não deixa de ser curioso que, numa era de relativismo moral – em que tudo o que não é transaccionável não tem valor –, esta disputa política tenha sido marcada por uma superioridade moral que tendia a classificar qualquer apoiante de Trump não como um eleitor com vontade, com pensamento e com uma posição política fundamentada e própria, mas como um simples «preconceituoso intratável». Por demasiadas vezes, a discussão foi transportada para uma dicotomia pueril entre a equipa dos ‘bons/tolerantes’ e a equipa dos ‘maus/cheios de ódio’. Esta estratégia de demonizar a contraparte acabou por prejudicar o lado que alegadamente representava a ‘tolerância’."

1 comentário:

  1. Pode parecer pouco... mas, na realidade, é muito muito muito:
    - Donald Trump enfrentou os psicopatas globalistas - que controlam os media - e salvou a liberdade de expressão!
    Antes de Trump, quando se falava em fronteiras/Identidade os psicopatas globalistas - pretendem implementar NOVOS TABUS na civilização - vociferavam "fascistas, nazis, etc" até silenciarem as vozes desalinhadas.
    Depois de Trump passou a ser possível falar em fronteiras/Identidade com naturalidade.
    Trump ao impor o fim do tabu... fez com que os psicopatas globalistas, que controlam os media (nota: eles queriam implementar novos tabus na civilização), FICASSEM RESSABIADOS.
    .
    .
    É preciso dizer não aos psicopatas globalistas,... isto é, ou seja, não se pode deixar de reivindicar o LEGÍTIMO Direito à sobrevivência de Identidades Autóctones: SEPARATISMO-50-50

    ResponderEliminar