segunda-feira, 18 de julho de 2016

Tão amigos que eles eram...

Garcia Pereira e Arnaldo Matos. Tão amigos que eles eram...

O «Luta Popular», órgão oficial do PCTP/MRPP, traça o "perfil de um canalha", que é como se refere a Garcia Pereira, classificado como "anti-comunista primário", que "se escondia atrás do secretário-geral burocrata e analfabeto Conceição Franco, para desferir cobardes ataques à classe operária e ao povo trabalhador". A guerra de Arnaldo Matos contra Garcia Pereira não é nova e provocou a demissão deste último no ano passado, mas parece ainda não ter terminado. O artigo referido, publicado no dia 7 de Julho, acaba com a seguinte frase: "Mas há mais documentos que confirmam o trajecto anti-comunista e social-fascista de Garcia Pereira. Havemos de voltar a eles." 

Mas, enquanto nos divertimos com o enxovalhamento público neste partido que mais parece um manicómio, é bom recordar que o PCTP/MRPP recebe subvenções desde 2009, mesmo sem qualquer eleito. A partir das últimas Legislativas, em 2015, recebe cerca de 170 mil euros por ano graças aos 60 mil votos obtidos. É (também) para isto que servem os fundos públicos...

Sem comentários:

Enviar um comentário