terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Messias


À esquerda muitos acreditam que é da névoa das presidenciais que vem o messias. Aquele que anuncia um “tempo novo”, tal e qual como antes se anunciava o “homem novo”. Propostas concretas não interessam, porque Sampaio da Nóvoa sente-se sempre como estando acima de tudo e todos. Desconhecido dos portugueses, foi apresentado como grande pedagogo, mas não se livrou de ser alvo de suspeitas sobre o seu percurso académico. Ainda assim, nada parece afectá-lo. Se o regime não fosse republicano, seria D. Sampaio II, o messiânico.

Sem comentários:

Enviar um comentário