segunda-feira, 16 de março de 2015

O meu país traiu-o


Goulart Nogueira morreu no passado dia 14 de Março de 2015, com 90 anos de idade. Figura ímpar da Cultura portuguesa, foi poeta, dramaturgo, encenador, tradutor, ensaísta, polemista e pensador político.
O seu inegável talento foi sendo gradualmente “esquecido” pelo novo regime, para quem era incómodo.

Na revista “Tempo Presente” publicou uma tradução do magistral poema de Robert Brasillach, “Mon pays me fait mal”, que o escritor francês redigiu na prisão a 3 de Fevereiro de 1945, três dias antes de ser fuzilado. Recordei-me das últimas linhas:

“O meu país me dói, a escravizar-se, exangue;
Por seus carrascos de ontem e pelos que hoje há,
O meu país me dói, a lavar-se com sangue;
O meu país me dói. Quando se curará?”

A questão final foi a dúvida que levou consigo, a preocupação com o futuro da Pátria – a que defendeu e que o traiu. Cabe-nos recordá-lo e manter viva a sua obra. Que descanse em paz.

Sem comentários:

Enviar um comentário