quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Os bustos e as bestas


A esquerda par(a)lamentar indignou-se com os bustos de António Óscar Carmona, Américo Tomás e Craveiro Lopes inseridos numa exposição sobre a Presidência da República patente em São Bento. Nesta episódio dos bustos e das bestas, que de novo nada tem, os primeiros representam parte da nossa História, já os segundos continuam agarrados à sua classificação maniqueísta da política, onde se arvoram em defensores do “bem” contra o “mal”.

Sempre que estes polícias do pensamento regurgitam a verborreia habitual, lembro-me do que escreveu Julien Freund: “as sentinelas do antifascismo são a doença da Europa decadente.”

Sem comentários:

Enviar um comentário