quarta-feira, 7 de maio de 2014

Crime na Inglaterra rural


As primeiras temporadas de “Midsomer Murders” estão a ser transmitidas em Portugal pelo canal Fox Crime e são uma viagem à Inglaterra rural através das investigações do Inspector-chefe Barnaby (John Nettles) e do Sargento Troy (Daniel Casey). Uma série de grande sucesso em vários países que há uns anos não escapou a uma polémica politicamente incorrecta...

Esta é uma série televisiva britânica que existe desde 1997, baseada nos livros de Caroline Graham, segundo a adaptação original de Anthony Horowitz. A acção desenvolve-se no condado ficcionado de Midsomer, onde a principal povoação é Causton, uma comunidade aparentemente pacata mas onde não deixa de haver homicídios.

Todo este cenário está muito bem construído e as diferentes realidades locais bem representadas, com uma separação de classes sociais que ainda existe e os hábitos e o ritmo da província. À dupla de detectives cabe investigar casos onde os motivos vão da traição conjugal às heranças, passando por outros mais elaborados. Apesar do tema central ser o crime, tudo se passa num ambiente familiar, onde não falta uma pitada de humor.

Como não podia deixar de ser, Midsomer está a milhas de Londres, não só em distância como em aparência, já que aqui encontramos a Inglaterra como a conhecíamos e não o país “multicultural” que vemos hoje nos noticiários.

No entanto, apesar do grande e prolongado êxito da série, esta característica começou a ser alvo de críticas. Em 2011, Brian True-May, o produtor executivo, questionado por uma revista acerca da inexistência de “diversidade racial” no elenco respondeu que não fazia sentido incluir minorias étnicas porque, assim, Midsomer deixaria de ser “o último bastião da englishness”. True-May afirmou na altura que “talvez não fosse politicamente correcto” e, de facto, as consequências não se fizeram tardar. A ITV suspendeu-o e só o readmitiu depois de ele ter feito um pedido público de desculpas. Mesmo assim, True-May deixou de ser o produtor da série. O resultado desta polémica foi a inclusão de uma família indiana na 15.ª temporada.

Nesta Inglaterra ficcionada o bastião da ‘englishness’ caiu, mas na Inglaterra real já caíra há muito...

1 comentário:

  1. Pelo menos um episódio metia uma lasca brasileira que acaba assasinada e salvo erro uma empregada espanhola, que acabou por ser portuguesa ou vice-versa (os argumentistas, viu-se, baralharam-se em distinguir o português do espanhol). Outro episódio meteu ciganos...
    Parece-me que o que se queria nesta série eram pr... esquimós; valham-lhes os monhés...
    Cumpts.

    ResponderEliminar