sexta-feira, 2 de maio de 2014

Comandantes


O caso do naufrágio do ‘ferry’, que causou pelo menos 187 mortos, na Coreia do Sul, fez com que o primeiro-ministro, Chung Hong-won, apresentasse a sua demissão, na sequência das críticas à gestão da crise. Mas o que mais chocou as pessoas foi o facto de o comandante do navio o ter abandonado, tentando passar despercebido entre os sobreviventes para salvar a sua pele. A sua atitude faz lembrar a do comandante do navio de cruzeiro Costa Concordia. É um sinal dos tempos, quando os comandantes deixam de o ser e revelam, na ausência da honra e do sentido do dever, uma cobardia assassina. Faltam comandantes. E não é só no mar...

Sem comentários:

Enviar um comentário