sábado, 19 de abril de 2014

As raízes são importantes


Eu bem disse que tinha que ver este filme. Mesmo com as expectativas em alta, deliciei-me com "A Grande Beleza", de Paolo Sorrentino. Visualmente maravilhoso e muito bem realizado, leva-nos à história de Jep Gambardella, que é a maior - e melhor - crítica às artes contemporâneas degeneradas que tenho visto. Mais, é a desconstrução total da pós-modernidade e a revelação da sua decadência.

Este escritor de um só romance, perdido na longínqua juventude, tornou-se o "rei dos mundanos" da capital italiana. À sua volta gira a sociedade artística romana, que se entretém em festas e faz 'performances' disparatadas e vazias. Jep é o centro deste mundo, mas nem por isso deixa de ser arrasador nas suas críticas sinceras.

Será "só um truque", ou Jep conseguirá encontrar a "grande beleza"? Céliniano de uma ponta à outra, da citação inicial de "Viagem ao Fim da Noite" aos "blá, blá, blá" finais, este é um filme que não nos deixa indiferentes.

Uma reflexão sobre a vida que é um apelo às raízes. Porque estas são "importantes", como nos diz no final uma sinistra freira, qual oráculo da Antiguidade.

Excepcional! Para ver e rever.

Sem comentários:

Enviar um comentário