sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

O Acordo Ortográfico e o mercado editorial

Capas das edições portuguesa e brasileira do mesmo livro de Luiz Ruffato

Uma das provas do total falhanço do Acordo Ortográfico (AO) e da sua demanda pela unificação impossível é o que se passa no mercado livreiro, onde as editoras continuam a publicar livros com duas ortografias em Portugal, com a ortografia anterior ao AO na África lusófona e a adaptar as edições para o Brasil, onde as diferenças não são apenas ortográficas, como é há muito sabido. A este propósito, um artigo a ler no "Público" de hoje afirma que o AO "não abriu o mercado brasileiro ao livro português".

Nunca a lusofonia precisou de um acordo para se entender, mas como conseguir que os nossos actuais políticos teimosos e irresponsáveis o entendam?

Sem comentários:

Enviar um comentário