terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Os homens tinham deixado de lutar...


"Era bom lutar, pensava. Era como limpar sentinas. Era óptimo para a circulação do sangue e dos sucos gástricos colocar nos punhos toda a angústia, o mau humor, a desesperança que lastravam a alma. Era quase terapêutico que a acção desses tréguas por algum tempo ao pensamento, e os impulsos atávicos, que faziam o ser humano escolher entre a morte ou a sobrevivência, reclamassem a sua parte no fogo da vida. Talvez por isso o mundo estivesse agora como estava, reflectiu. Os homens tinham deixado de lutar, porque era mal visto e isso estava a enlouquecê-los."

Arturo Pérez-Reverte
in "O Cemitério dos Barcos Sem Nome"

Sem comentários:

Enviar um comentário