quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Enoch Powell e a língua portuguesa


Enoch Powell é conhecido especialmente pelas suas posições lúcidas, ainda que polémicas, sobre a imigração maciça e as suas consequências, mas habitualmente não é referida a sua elevada cultura, própria de um classicista de formação, que aos 25 anos era já professor de grego antigo. Sobre o seu conhecimento linguístico, há um aspecto que interessa especialmente aos portugueses.

Na excelente biografia feita por Simon Heffer, intitulada “Like the Roman. The Life of Enoch Powell”, há uma passagem que refere o encontro de Powell com a língua portuguesa.

Em 1940, com 28 anos de idade, Powell é destacado para o quartel-general da 9.ª Divisão Blindada em Guilsborough, Northamptonshire. Continuava a escrever poesia e a ler avidamente. Escreve Heffer que “a sua erudição era lendária e os seus camaradas oficiais estavam sempre a tentar apanhá-lo em falso. Um deles, em Aldershot, conseguiu descobrir que Powell nunca tinha lido o grande poeta português Camões. Quando os dois se encontraram novamente, dois anos mais tarde no Cairo, Powell disse-lhe que já tinha lido tudo o que Camões havia escrito, um estudo que iniciara quando chegou ao Egipto, aprendendo por ele próprio português antes de deixar a Inglaterra.”

Sem comentários:

Enviar um comentário