quarta-feira, 19 de junho de 2013

Mestre

Pormenor do fresco "Escola de Atenas", de Rafael (c. 1509-1511). 

«Mestre é assim aquele que soube destruir o seu “ego”, ou falso eu, e idêntica destruição saberá ensinar ao discípulo. É aquele que passou por uma experiência fundamental, de identificação com a Realidade, em que esse “ego” é anulado, e a saberá fazer partilhar: o que conhece a via, suas etapas diferentes, e falsos caminhos a evitar. Ele nada ensina, nenhuma transmissão de saber escolar, nenhum sistema, muito menos, nenhuma ideologia impõe. Mas só iluminação e passagem através dessas etapas, ou diferentes níveis do ser, desde as inferiores até às superiores, à identificação final com o Outro.»

Dalila L. Pereira da Costa
in "Corografia Sagrada" (1993).

Sem comentários:

Enviar um comentário