quarta-feira, 24 de abril de 2013

Poesia reunida

Este é o título de dois volumes que reúnem a poesia de Vasco Graça Moura, publicados em 2012, ano em que se comemoraram os 50 anos de vida literária deste autor português. A editora Quetzal teve a feliz ideia de publicar a totalidade da poesia de Vasco Graça Moura em dois volumes, que junto ultrapassam as 1200 páginas.

O autor é uma das referência maiores da vida cultural portuguesa contemporânea. Nasceu no Porto em 1942, poeta, romancista, ensaísta, tradutor, foi secretário de Estado de dois Governos provisórios, desempenhou funções directivas na RTP, na Imprensa Nacional e na Comissão para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses. Em 1999, foi eleito deputado ao Parlamento Europeu. É autor de três ensaios sobre Camões: “Luís de Camões: Alguns Desafios” (1980), “Camões e a Divina Proporção” (1985) e “Sobre Camões, Gândavo e Outras Personagens” (2000). Da sua obra podemos ainda referir os romances “Quatro Últimas Canções” (1987) e “Meu Amor Era de Noite” (2001), bem como o livro de poesia “Uma Carta no Inverno” (1997), incluído nesta obra, que lhe valeu o prémio da APE. Recebeu o Prémio Pessoa em 1995 e a medalha de ouro da Comuna de Florença em 1998, ambos atribuídos à sua tradução da Divina Comédia de Dante. É o actual director do Centro Cultural de Belém e é um acérrimo opositor ao “famigerado Acordo Ortográfico”, para usar as suas palavras.

Para ele, a poesia “é uma questão de técnica e de melancolia”, dois aspectos que podemos observar nesta verdadeira vida poética reunida. Muitos consideram-no o maior poeta português vivo. Não caindo em ‘rankings’, tão na moda, impõe-se dizer que Vasco Graça Moura é autor de uma vastíssima obra poética, ensaística e ficcional e um excelente tradutor e divulgador das literaturas clássicas – uma figura importantíssima da cultura nacional actual. Esta é uma excelente edição e uma óptima homenagem.

Sem comentários:

Enviar um comentário