sábado, 3 de novembro de 2012

Crónica de um caso delirante

O caso de Pedro Varela é inacreditável, mas aconteceu. Acusado por editar e vender livros portadores de ideias “incorrectas” foi preso e os respectivos livros destruídos. Tudo se passou no século XXI na democrática União Europeia. O Humberto Nuno de Oliveira decidiu em boa hora relatar o sucedido, bem como todas as acções de apoio que decorreram no nosso país, em livro.





A minha avaliação deste livro não é apenas uma apreciação subjectiva. Conheço o Pedro Varela e estive várias vezes na sua livraria. Este caso, obviamente, não me foi em nada distante. Como o autor refere num breve capítulo, “só a cobertura do único semanário verdadeiramente independente e livre em Portugal, ‘O Diabo’, permitiu que o caso de Pedro Varela pudesse furar a indiferença e o bloqueio mediático que também entre nós lhe foi imposto”. De seguida elenca os vários artigos publicados nesse semanário sobre o sucedido, da sua autoria, do Flávio Gonçalves e um assinado por mim.

Para além disso, unem-me ao Humberto Nuno de Oliveira fortes laços de amizade e camaradagem. Acompanhei a elaboração deste livro desde que ele não passava de uma óptima ideia. Tive a felicidade de a ver concretizada – algo tão raro no nosso país – e ter dado o meu modesto contributo, nomeadamente na revisão. Foi também com grande contentamento que vi a participação de outro amigo e camarada em comum, o José Luis Jerez Riesco, enquanto autor de um sábio, certeiro e motivador preâmbulo.

A tão proclamada defesa da liberdade de expressão é sempre muito complicada, quando se trata de defender o direito à palavra de pessoas com as quais não concordamos. No entanto, no que respeita a Pedro Varela não se reduz apenas a isso. Como nos diz o Humberto, num capítulo profusamente ilustrado, na lista de livros proibidos pelos quais Pedro Varela foi condenado enquanto editor constam diversos títulos que eram vendidos livremente pelo maior portal livreiro espanhol na internet.

O Humberto não foi apenas um espectador deste caso. Este livro é, aliás, mais uma das suas denúncias do sucedido. Enquanto coordenador do Comité Português Pró-Liberdade de Pedro Varela trocou vária correspondência com o detido, participou em várias iniciativas públicas exigindo a sua libertação, ou recolhendo apoios, proferiu conferências e escreveu artigos. Todo este trabalho é condensado neste opúsculo, que incluiu a reprodução de diversos documentos deste processo kafkiano, fotografias das acções desenvolvidas, extractos das cartas de Varela, nomeadamente as que referem explicitamente o apoio recebido de Portugal, entre outras.

O livro pode ser pedido através das Edições Réquila (edicoesrequila@gmail.com) ou directamente ao autor (hnuno.oliveira@gmail.com). O custo, destinado a pagar a edição e ajudar a futura vinda do Pedro a Portugal, é o definido pela distribuidora (8 euros) a que acrescerá 1 euro (de correio verde) para o caso de expedição postal.

Exemplo de coragem, camaradagem e de recusa de indiferença ou passividade, “17 Livros para uma Prisão – O Caso de Pedro Varela”, é um livro sintético e muito bem construído, de leitura fácil, mas com uma reflexão bastante informada, que nos alerta para algo que aconteceu “aqui ao lado”, na vizinha Espanha.

Sem comentários:

Enviar um comentário