quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Para compreender a Argélia

No ano em que se cumprem 50 anos do fim da Guerra da Argélia, expressão que durante muito tempo foi recusada pela República Francesa, que só a oficializou por voto da Assembleia Nacional em 1999, a revista francesa “La Nouvelle Revue d’Histoire”, dirigida por Dominique Venner, decidiu dedicar o seu quarto número especial à história desta “terra trágica”.


Num número com a elevada qualidade a que esta revista, disponível nos quiosques nacionais, nos tem habituado e muito bem organizado, podemos fazer um viagem pela História da Argélia e pelos principais acontecimentos que a marcaram. Com natural destaque para a Argélia francesa, podemos ler artigos como “Franceses da Argélia: uma história ignorada”, de Christian Brosid, “Argel 1942-1945. Génese da Guerra”, de Dominique Venner”, “Quando LArteguy invonteu os Centuriões”,de Bruno Cessole, “Abandono e massacre dos harkis”, pelo general Maurice Favre, “A lenda do 17 de Outubro de 1961”, de Bernard Lugan, e “Argélia 1962-2012: a independência confiscada”, por Péroncel-Hugoz, entre outros. De seguida, temos uma perspectiva histórica da Argélia, com a entrevista com o africanista Bernard Lugan, que regressa às origens para falar sobre os berberes, mas também artigos sobre a África romana e a presença dos vândalos e dos bizantinos, bem como sobre a conquista muçulmana e árabe e o domínio turco. Depois, podemos ver uma cronologia da conquista francesa, o papel do marechal Bugeaud, a revolta de Mokrani e o nascimento do nacionalismo argelino.

Sem comentários:

Enviar um comentário