sábado, 24 de março de 2012

MEC e o AO

Quem se lembra de Miguel Esteves Cardoso nos tempos da feroz campanha contra o Acordo Ortográfico no semanário "O Independente", sabe que o tema não podia passar ao lado na entrevista feita por Pedro Mexia e publicada hoje na revista "Única", do "Expresso".

O "Público" não aderiu ao Acordo Ortográfico; se aderisse pedia para porem lá aquela notinha no fim, de objecção de consciência? Pedia para escrever na ortografia antiga. Se me deixassem, escrevia; se não me deixassem, não me ia embora.

Mas é uma questão importante? É importantíssima. Sobretudo quando mais ninguém quer aderir, é uma coisa de meia dúzia de pessoas, e está a tornar-se um embaraço. Podíamos fingir que não aconteceu.

Talvez se o ministro dos Negócios Estrangeiros recuasse... Desiludia-me muito que não o fizesse. Ele era completamente contra o Acordo Ortográfico, agora tem que ser coerente.

Sem comentários:

Enviar um comentário