sábado, 5 de fevereiro de 2011

Regresso ao Homem do Castelo Alto

O Miguel Vaz partilhou na casa que agora ambos frequentamos um comentário à sua leitura de do «O Homem do Castelo Alto», de Philip K. Dick, de que falei aqui há uns anos. Refere-se à edição lançada entre nós no ano passado pela Saída de Emergência com um prefácio de Nuno Rogeiro.

Como lhe disse em comentário, não li nenhuma das traduções portuguesas do livro, nem a que ele menciona, nem a publicada anteriormente pela Livros do Brasil na colecção Argonauta, em dois volumes. Cingi-me ao original.

No que respeita ao ensaio que abre esta edição, tinha a ideia de que se tratava do artigo de N. Rogeiro "A Ruínas Espelhadas - Notas sobre a Ficção de Philip K. Dick", publicado no n.º 14/15 da revista "Futuro Presente, em 1983. O Miguel confirmou que o mesmo é, "segundo as palavras do autor, é uma versão "muito manejada e revista" desse texto inicial publicado na "Futuro Presente", até para "ter em contra o largo continente de estudo que, nas últimas décadas, se foi formando sobre Dick", e recebeu o título céliniano "De um Castelo ao Outro - Engenharia e Engenho na Ficção "Científica" de Philip K. Dick". Apesar de já ter lido o livro e de admirar bastante o seu autor e restante obra, confesso que me despertou a curiosidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário