terça-feira, 29 de junho de 2010

Ficam os mitos

Soube ontem, pelo Miguel Vaz, da triste notícia da morte de Rui Moura, autor do Mitos Climáticos, blog que integrava a minha lista de visitas habituais. Não deixa de ser inesperado, já que há pouco tempo atrás troquei algumas mensagens de correio electrónico com ele. Partiu, deixando para trás o seu precioso contributo para um debate a que tantos se recusam. Os mitos aí ficam, à espera de espíritos críticos como ele, que contrariem esta floresta de papagaios em que vivemos. Que descanse em paz.

6 comentários:

  1. Pese embora ter discordado apaixonadamente dele, bem como discordo dos restantes negacionistas das alterações climáticas, de quando em vez visitava o seu blogue e surpreendeu-me a entrevista que deu em tempos à Novopress.

    Junho tem sido fértil em enterros.

    ResponderEliminar
  2. Não se trata de negar as alterações climáticas, mas de pôr em causa a "verdade indiscutível" que definiu o aquecimento global devido a actividades humanas. Sinceramente, não percebo como é que tu, que és o primeiro a pôr em causa tantos dogmas do Ocidente, acreditas piamente nas afirmações de «profetas» como o Al Gore. Ainda por cima num tema como este, onde há tanta discussão e incerteza, com argumentos científicos e sustentados de ambos os lados.

    ResponderEliminar
  3. Bom, eu acredito nessa verdade indiscutível, acho impressionante achar que toda a poluição que a raça humana causou com a sua modernidade não teve, nem tem, efeito nenhum.

    Mas são dogmas e crenças, tal como no Holocausto: ou se acredita, ou não se acredita, e não vale a pena tentar mudar mentalidades.

    ResponderEliminar
  4. Efeitos, a poluição tem de certeza. O que se trata aqui é se as actividades humanas são suficientes para induzir alterações no clima. Embora as correntes defensoras do aquecimento do clima recorram a essa comparação, chamando negacionistas aos cépticos, não me parece que os temas sejam equivalentes. Aliás, essa acusação só prova a má-fé de alguns dos representantes dessas correntes, que querem transformar uma questão científica, sujeita naturalmente a discussão e rebatimento, numa questão de Fé. Na ciência não há dogmas, não há verdades indiscutíveis.

    ResponderEliminar
  5. Bom, eu admito já a minha parcialidade, acho que a vossa corrente vale tanto como as afirmações de que o céu é verde com pintinhas amarelas... é negar a realidade, e ponto final.

    Cada um na sua, há também quem acredite que morreram 6 milhões de judeus, portanto há crenças piores.

    ResponderEliminar
  6. Estou chocado com a notícia, era um homem que falava do que sabia.

    ResponderEliminar