sábado, 20 de fevereiro de 2010

Um dia em cheio

Início da marcha

Hoje à tarde estive presente na manifestação pelo casamento e pela família. Entendo que a família é a base da sociedade e o casamento uma instituição social que a garante. Essenciais, por isso, para assegurar a sobrevivência de um povo. Foi com grande alegria que participei nesta mobilização transversal que levou milhares de pessoas a preencher a Av. da Liberdade numa marcha que terminou na Praça dos Restauradores. Juntaram-se representantes de várias áreas políticas (incluindo o PNR) e de diversos sectores da sociedade: um exemplo para acções futuras alargadas, em defesa de Portugal e dos portugueses.

A faixa do PNR

A meio da avenida, um pequeno grupo de defensores do casamento homossexual tentava protestar contra a manifestação. No entanto, sendo ridículos tanto pelo número como pela forma que se apresentavam, os seus urros e batuques não tiveram qualquer impacto.

Logo a seguir, na SHIP, tive oportunidade de assistir ao lançamento do livro "Antologia Poética de Rodrigo Emílio", que terminou com uma sala lotada a ouvir e a acompanhar o José Campos e Sousa.

Há dias assim, só é pena não serem mais frequentes.

2 comentários:

  1. os teus milhares tambem nao foram assim tantos!

    ResponderEliminar
  2. Por muito batuques que haja nunca uma minoria se afirma... sobretudo se for uma minoria de outra!!! Têm problemas em dar a cara?? Ficam-se pelos desabafos...

    ResponderEliminar