segunda-feira, 30 de novembro de 2009

domingo, 29 de novembro de 2009

Oposição nacional ao Tratado de Lisboa


Depois das cerimónias oficiais do 1.º de Dezembro, na Praça dos Restauradores em Lisboa, terá lugar às 17 horas um protesto, promovido pelo PNR, contra a entrada em vigor do “Tratado de Lisboa” que nos subtrai mais ainda, e de forma grave, a soberania.

Independência nacional


O PNR vai estar integrado nas comemorações oficiais, fazendo-se representar na Tribuna de Honra e procedendo à deposição de uma coroa de flores em homenagem aos heróis da Restauração, e com ela, a todos aqueles que lutam e lutaram pela nossa soberania.

sábado, 28 de novembro de 2009

Diversidade



Claude Lévi-Strauss (28/11/1908 — 30/10/2009) faria hoje 101 anos. Óptima data para recordar a sua defesa da diversidade de culturas e a denúncia da monocultura universal.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

CasaPound na imprensa


Chego a Roma na sexta-feira passada e mostram-me, à noite, no Cutty Sark, a revista «Vernerdì», do jornal «La Repubblica», que tinha uma reportagem onde falava da CasaPound, ilustrada com as magníficas fotografias de Alessandro Cosmelli, originalmente publicadas no "Oltrenero", livro que referi aqui. As mesmas imagens haviam já acompanhado o artigo, simplesmente inenarrável, de Miguel Mora, na revista do «El País», no mês passado. Para alimentar a campanha anti-Berlusconi, nada como ir buscar o fascismo, o "racismo", etc. Aquele filme que já conhecemos bem e que continua a vender que nem ginjas...

Foi então que, coincidência ou não, estando em plena CasaPound, recebo mensagens de Lisboa que me davam conta da publicação da tradução do chorrilho de disparates de Mora na revista «Visão». Dei conta disso ao Gianluca Iannone e aos restantes camaradas italianos. Depois de ele me pedir para lhe enviar um exemplar, a conversa que se seguiu foi a habitual. Conclusão: a imprensa continua a agitar o papão do fascismo e da extrema-direita, mesmo quando confrontada com casos de intervenção social louváveis como é o da CasaPound.

Mas ainda havia mais. Chegado a Lisboa, um familiar tinha-me guardado o exemplar da revista «Pública» do passado domingo, onde "A decadência do império romano" titulava a capa que mostrava o presidente do Conselho de Ministros italiano de olhos fechados e boca coberta. Lá dentro, dois artigos de Alexandra Prado Coelho: "O que fizeste à Itália, Berlusconi?" e "Roma, cidade fechada". Havia uma óbiva vantagem sobre o publicado na «Visão», que se limitou a traduzir um artigo espanhol, é que pelo menos houve uma jornalista que se deslocou a Roma. O primeiro inseria-se na mesma campanha anti-Berlusconi e referia a determinada altura a CasaPound. A enviada da «Pública» foi lá bater à porta e falou com a pessoa que estava de turno. Dessa breve conversa, referiu algum do trabalho deste centro social, como o facto de terem recuperado este edifício agora ocupado e dado um tecto a quinze famílias italianas que não tinham casa, bem como a realização regular de encontros e sessões de debate. Muito ficou por dizer, de tantos projectos levados a cabo por estes ragazzi, mas foi além da habitual maledicência sem conhecimento. No segundo artigo, que se referia ao tratamento dos imigrantes, especialmente dos ciganos que vivem em Casilino 900, campo que existe há 40 anos, é de notar a seguinte passagem: "durante décadas nada aconteceu. Só recentemente - e, curiosamente, com o novo presidente da Câmara de Roma, Gianni Alemanno, um pós-fascista - é que houve ligeiras melhorias. Casilino 900 tem, desde há poucos meses, um ponto de água com meia dúzia de torneiras, alguns postes de iluminação pública e casas de banho químicas."

Vacinações

À semelhança da situação em França, de que falei aqui, leio na edição de hoje do jornal «i» que "só 32% dos médicos e 18% dos enfermeiros foram vacinados" contra a gripe A. Perante tal desconfiança dos profissionais de saúde, como exigir que a restante população confie?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Le Choc du Mois n.º 34

O último número de «Le Choc du Mois» tem um dossier muito interessante sobre a vida, morte e ressurreição da extrema-esquerda, a "doença infantil do comunismo", como disse Lenine. Sobre esta ideologia "contra os povos e as nações", podemos ler vários artigos sobre Trotsky, os "idiotas úteis do mundialismo", a história do mal-entendido entre a extrema-esquerda e as banliueues, as "lógicas siamesas da extrema-esquerda e do neo-liberalismo", entre outros.

100 mil

Foi o número de visitantes ultrapassado hoje nesta casa, depois de mais de cinco anos de existência. É muito? É pouco? Será sempre relativo, mas não deixa de ser um marco a assinalar.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Flash n.º 26


Excelente dossier, neste número do «Flash», sobre os "soixante-huitards esquecidos" da Ordre Nouveau, com as recordações de Alain Renault e Jack Marchal e o comentário de Alain de Benoist que diz: "quando a extrema-direita e a extrema-esquerda se enfrentam, a burguesia esfrega as mãos..."

Ainda a identidade francesa

O jornal «Público» dedica hoje quase duas páginas ao debate sobre a identidade francesa de que falei aqui. Poupo-me a comentar o tom da notícia, definido a priori no título, "Definir o que é ser francês servirá apenas para cortar na imigração?", mas mantenho a esperança que este debate inspire outros na Europa, incluindo no nosso país.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Jorge Ferreira

Acabado de chegar de Roma, deparo-me com a triste notícia da prematura morte de Jorge Ferreira. Eu não o conhecia pessoalmente, apesar de termos alguns amigos em comum, nem estava de acordo com ele em muitas coisas, como não podia deixar de ser. No entanto, mantinha com ele uma relação blogosférica e sempre admirei a sua frontalidade, a sua liberdade e a sua sinceridade. Por várias vezes o citei nesta casa e ele agradecia simpaticamente. Era um dos meus leitores de que mais me orgulhava, a última vez que se referiu a este blog foi este ano, para dar os parabéns: "O Pena e Espada, de Duarte Branquinho, completa hoje cinco anos de vida. Parabéns pela persistência e pela liberdade, neste mundo de efemeridades."

Obrigado ao Jorge pela inteligência e independência com que tantas vezes deu verdadeiras lições de liberdade. Descanse em paz.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Ritorno alla città eterna

Depois do êxito da primeira deslocação a Roma organizada pela Terra e Povo, em Maio deste ano, decidimos regressar com um novo grupo para dar a conhecer o activismo dos nossos camaradas romanos. É já no próximo fim-de-semana que um grupo de portugueses ficará na CasaPound e terá contacto directo com esta vanguarda cultural e política italiana.

Fonte: www.terraepovo.com

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

3.º aniversário da Synthèse Nationale: um sucesso


As jornadas nacionais e identitárias organizadas por ocasião do terceiro aniversário da revista francesa «Synthèse Nationale», realizadas no passado dia 11 de Novembro em Paris, foram um sucesso. Os números falam por si: 825 entradas pagas; 26 oradores, franceses e europeus, entre os quais o presidente da Terra e Povo; 30 stands presentes. Para além do facto de o evento ter merecido cobertura de vários media franceses.

Vista da sala de conferências, sempre cheia ao longo do dia.


Vista da zona de stands, sempre concorrida.

Fonte: www.terraepovo.com

A situação actual em duas notícias

Hoje, no popular jornal «Correio da Manhã», há duas notícias que, quando associadas, explicam a actual situação. São elas: "Vara quadruplica salário", que mostra como a passagem pelo governo de Guterres foi essencial para que Armando Vara passasse "de um ganho anual de trabalho dependente de 59 486 euros, em 1994, para 239 541 euros, em 2007" e "Empregos destruídos", que nos dá conta de que "a taxa real do desemprego já ultrapassou a barreira dos 10% da população activa". Cada qual que tire as suas conclusões...

Terre & Peuple Magazine n.º 41


Este número da revista da Terre et Peuple tem como tema de capa um assunto muito importante “A nossa Ecologia”, que o presidente da associação considera “um elemento central de todo o enraizamento identitário e integra-se assim plenamente na nossa vontade de revolução cultural”. No óptimo dossier que conta com os artigos “Origens diabólicas?” e “A Ecologia e nós”, de Pierre Vial, “Monsanto, a morte invisível”, “Taxa carbono” e “Eles apropriam-se de terras agrícolas!”, de Roberto Fiorini, “A absoluta necessidade do combate ecologista”, de Eric Pinel, presidente de France-Écologie-Environement, podemos ainda ler as entrevistas com várias pessoas que vivem o enraizamento, testemunhos de experiências concretas, e um cartoon de Konk. A destacar, o artigo de fundo de Alain Cagnat sobre a situação na Geórgia. “A arte e o artesanato populares, uma ética e uma estética”. Para além de outros artigos, podemos ainda ler a “Crónica da decadência” de Emmanuel Ratier, críticas a livros e a banda desenhada, uma carta de Eric Delcroix no correio dos leitores, bem como comentários sobre a actualidade e as habitual rubrica sobre culinária.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

sábado, 14 de novembro de 2009

La Décroissance n.º 64

"Resistir ao progresso" é o tema central deste número do jornal «La Décroissance», órgão dos "objectores de crescimento", que completa dez anos de existência.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

EngripAdos

Passado o pânico mediático inicial face à gripe A, sabemos agora que muita da histeria era injustificada. Um exemplo prático, muitos de nós — é o meu caso — conhecem pessoas próximas, familiares, amigos ou colegas, que foram infectados pelo vírus, adoeceram e depois recuperaram. Ou seja, a gripe A é, como o nome indica, uma gripe. É claro que pode causar a morte, mas sempre relacionada com problemas de saúde prévios ou falta de cuidados, tal como a gripe normal.

Vem isto a propósito das notícias que vi nos media franceses sobre a vacinação contra a gripe A. Em França a desconfiança face à vacina é grande e é de notar que do pessoal hospitalar, o primeiro a ser contemplado neste processo, apenas dez por cento se vacinou. Não é, como dizia o editorial do jornal «La Croix» de ontem, "o melhor augúrio".

Falei em Paris com algumas pessoas que fazem uma campanha contra a vacinação. Segundo estes activistas, um deles médico, a gripe A é uma gripe, a vacina não sabemos. Ao que acrescentavam que nesta vacina ainda sem testes fidedignos, se notavam já registos de vários efeitos indesejáveis. Dá que pensar...

Debater a identidade nacional

É curioso notar a grande participação em França no debate sobre a "identidade nacional", lançado no ano passado pelo Ministério da Imigração, da Integração, da Identidade Nacional e do Desenvolvimento Solidário, que criou para o efeito um sítio na internet. A questão fundamental é aparentemente simples, mas acaba por ser complicada: para si o que é ser francês? Claro está que, apesar de algumas vozes discordantes, este debate se deve à elevada imigração e a todos os problemas causados pelos imigrantes de segunda e terceira geração, na sua maioria franceses.

Independentemente do resultado, só o mero facto deste debate ser colocado demostra bem que a identidade é algo demasiado importante para ser relegado para segundo plano e que preocupa e motiva as pessoas, ao contrário do que nos querem convencer os partidários da mundialização e da sociedade uniforme.

Para quando um semelhante debate em Portugal e em outros países europeus? Para quando um debate sobre a identidade europeia?

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Ir a Paris

Nos últimos tempos, ir a Paris é algo que faço uma vez por ano. Este ano repeti a dose. Não é que me importe, muito pelo contrário. Apesar do pouco tempo que lá estive, é sempre óptimo rever amigos e voltar àqueles lugares obrigatórios, mas também conhecer novas pessoas e novos sítios.
Esta última ida foi bastante preenchida e cansativa, da reunião darei conta num post posterior, mas no dia de regresso não faltou um passeio no Boulevard Saint-Michel, uns quantos livros e revistas compradas, um almoço com um amigo italiano junto à Sorbonne e claro, para recompor, un café serré.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

IdentidaD n.º 22

Nesta edição merece referência a reportagem sobre o maior encontro identitário europeu, a XIV Table Ronde, onde Portugal esteve representado pela associação Terra e Povo.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

DisidenciaS n.º 7

A imagem da capa deste número da «DisidenciaS» foi retirado do respectivo sítio e tem a indicação de que já está esgotado. No entanto, consegui comprar esta excelente revista, cujo dossier é sobre a "Espanha e a reconstrução do Estado", com artigos de Juan A. Aguilar, Jesús Neira e José Ortega y Gasset, para além das "Notas sobre o problema enegético" de Alain de Benoist, entre outros, na Casa del Libro, em plena Gran Via, quando estive há semanas em Madrid. Vale mesmo a pena. Mesmo que não seja possível comprar este número, já saiu o seguinte.

sábado, 7 de novembro de 2009

Reunir e resistir: 3.º Encontro da Synthèse Nationale



"Reunir e resistir" é o tema das terceiras jornadas da Synthèse Nationale, organizadas por ocasião do terceiro aniversário da revista, que decorrerão em Paris no próximo dia 11 de Novembro. Neste grande encontro nacional e identitário estarão presentes representantes de vários partidos, associações, organizações e publicações, de toda a França e de vários países europeus, incluindo pela primeira vez Portugal.

A lista de participantes confirmados até agora é:

- Franck Abed, escritor, presidente de Génération FA8
- Gabriele Adinolfi, escritor e jornalista (Roma)
- Josep Anglada, presidente da Plataforma per Catalunya (Barcelona)
- Francis Bergeron, escritor
- Olivier Bonnet, instigador de La Desouchière
- Duarte Branquinho, presidente da Terra e Povo (Lisboa)
- Pierre Descaves, antigo deputado, presidente de France Résistance
- Hilde De Lobel, Vlaams Belang (Antuérpia)
- André Gandillon, chefe de redacção de Militant
- Roland Hélie, director da Synthèse Nationale
- Anne Kling, escritora
- Carl Lang, President do Parti de la France
- Jean-Gilles Malliarakis, editor
- Annick Martin, secretária-geral do MNR
- Frédéric Pichon, presidente de Europae Gentes
- Philippe Randa, escritor e editor
- Enrique Ravello, director do Identidad (Madrid)
- Marc Rousset, escritor
- Jean-Claude Rolinat, escritor e jornalista
- Robert Spieler, delegado geral da Nouvelle Droite Populaire
- Nicolas Tandler, escritor e jornalista
- Alberto Torresano, redactor do Identidad (Madrid)
- Pierre Vial, presidente da Terre et Peuple
- Judith Wolter, presidente do grupo Pro Köln no conselho municipal de Colónia

Entre outros...



11 h 00 : abertura das portas, visita dos stands.

11 h 30 / 12 h 30 : 1.ª mesa redonda com representantes da imprensa e do mundo associativo .

12 h 30 / 14 h 00 : restauração rápida no local.

14 h 00 / 15 h 00 : 2.ª mesa redonda sobre a necessária reconquista cultural.

15 h 15 / 16 h 15 : intervenções dos convidados europeus.

16 h 00 : imprensa

16 h 30 / 18 h 00 : "Reunir e resistir" com Annick Martin, Pierre Vial, Carl Lang, Robert Spieler e Roland Hélie.

18 h 00 / 18 h 30 : a Synthèse Nationale oferece um aperitivo gigante aos participantes

Os colaboradores da revista, Lionel Baland, François Ferrier, Pieter Kerstens, Patrick Parment, Vincent Valois... estarão presentes.

Numerosos stands de livrarias, revistas, associações, movimentos e blogs estão previstos.

Entrada: €10.

Folheto para imprimir.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Flash n.º 23

Da última vez que estive em Paris, tive oportunidade de falar com o Nicholas Gautier que me ofereceu vários números do «Flash», que dirige. O n.º 23 deste "jornal gentil e inteligente" tem uma grande entrevista de cinco páginas com Jean-Marie Le Pen na qual este faz a sua rentrée política.

Referendos

Uma das demonstrações práticas do regime de pensamento único e de hipocrisia em que vivemos é a forma como é encarado o referendo. Este pode ser "democrático", e por isso repetido até se obter o resultado pretendido, como no aborto ou no tratado europeu. Mas pode também ser "populista" — algo que os bem-pensantes associam imediatamente à tenebrosa extrema-direita —, e por isso perigoso e a evitar, como na imigração ou no casamento homossexual.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Ronda blogosférica

Não-conforme
O nosso blog irmão Inconformista regressou em grande: textos, citações, imagens, livros, ligações, referências, livros, vídeos, etc. Um manancial de cultura não-conforme.

Saudades
Já estava com Eternas Saudades do Futuro... do ritmo e da estética.

Muito à frente
É onde está a Minoria Ruidosa. Pode ser (ainda) uma minoria, mas vale a pena ouvir!

Objectivo: Cosmopolitismo
O Rodrigo traduziu em boa hora o discurso de Jean-Yves le Gallou que analisa a convergência da esquerda com a superclasse mundial, demonstrando o objectivo comum de aparentes opositores.

Robert Ardrey
Excelente regresso a Robert Ardrey, por António Marques Bessa, que fez o Mário Martins ao lembrar a revista «Política».

Ramiro Ledesma Ramos (VIII)

Cerimónia de homenagem a Ramiro Ledesma Ramos, organizada pelo MSR no passado dia 24 de Outubro, no cemitério dos Mártires de Aravaca, onde se encontra enterrado.

Ramiro Ledesma Ramos (VII)

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Réfléchir & Agir n.º 33

O número de Outono da obrigatória «Réfléchir & Agir», “revista autónoma de desintoxicação ideológica” que divulgo sempre que sai, tem como tema central “As pátrias carnais, pelo fuzil ou pelas urnas?” e faz um périplo pela Córsega, o País Basco, a Bretanha, a Irlanda, a Flandres, a Catalunha e a Occitânia, com artigos de Pierre Gillieth, Bertino Bassotti, Enrique Ravello, Daniel Leskens, Laurent Rodesches, e as entrevistas com Julen de Mandraga, fundador da ETA, Frederig Ar Bouder, presidente do Adsav, o partido do povo bretão, e Xavièr Alopex, sobre o interesse e a actualidade de aprender línguas como o bretão, occitano ou alsaciano. A encerrar este magnífico dossier, a reflexão de Eugène Krampon “Rumo à Grande Europa das etnias”.

Destaque ainda para a grande entrevista com o comediante Dieudonné, a reflexão sobre Georges Sorel, de Éric Norholm, e os artigos “A experiência de Cantenbury”, de Bruno Favrit, “Peter Sellers ou a esquizofrenia cómica”, de Pierre Gillieth, entre outros. Nas notas de leitura, temos dez páginas de livros para descobrir. Não esquecendo as habituais críticas, música e cinema, os breves comentários à actualidade e outras secções habituais.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Le café-philo de droite

Este é o nome do muito interessante blog de Jean-Pierre Pagès-Schweitzer, homem de letras, jornalista e ensaísta, professor universitário reformado, que promove a união dos patriotas, fazendo a ligação entre todos os integrantes da dita direita nacional, com o objectivo de ser o catalizador de um verdadeiro aggiornamento.

Conheci o autor este ano em Paris e fiquei logo muito surpreendido por ele falar português perfeitamente, o que me explicou se dever ao facto de ter passado uns tempos no Brasil. Tivemos oportunidade de falar sobre alguns temas, como a situação política em França e Portugal e sobretudo a islamização da França e da Europa, assunto que o preocupa bastante e acompanha diariamente.

Vem isto a propósito do post que ele publicou ontem sobre os "amigos portugueses", onde colocou um vídeo da Terra Portuguesa.

Cumprimentos ao JPPS e que nos vejamos em breve.

Renaissance Européene n.º 81

Este é o órgão trimestral da associação Les Amis de la Renaissance Européene e da Terre et Peuple - bannière Wallonie, com sede em Bruxelas e dirigida por Georges Hupin.
Nas vinte páginas deste número podemos encontrar artigos de Françoi-Xavier Robert, Youri Boudeux, P. J. Dunbar e de Dragan Ninkovic sobre as acções de solidariedade no Kosovo, bem como a entrevista com Robert Steuckers sobre o Irão, recensões à revista «Terre et Peuple» e ao livro de Christopher Gérard "Aux Armes de Bruxelles", e ainda algumas breves da actualidade e notícias sobre as actividades da associação.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O Condestável - 1360 a 2009

A exposição da artista plástica Gabriela Marques da Costa, "O Condestável - 1360 a 2009", será inaugurada na Universidade Lusíada de Lisboa, na próxima sexta-feira, dia 6 de Novembro.


Nuno Álvares Pereira - Homem, Herói e Santo


O livro "Nuno Álvares Pereira - Homem, Herói e Santo", será apresentado na Universidade Lusíada de Lisboa, na próxima sexta-feira, dia 6 de Novembro, pelo Bispo de Beja, D. António Vitalino Dantas, e inclui textos de Abílio Pires Lousada, Afonso d’Oliveira Martins, Agostinho Marques de Castro (O. Carmo), Alexandre Sousa Pinto, Ana Loya, António Bagão Félix, António Manuel Couto Viana, António Martins da Cruz, António Tinoco, Carlos Evaristo, Cassiano Reimão, Cristina de Meirelles Moita, Francisco José Rodrigues (O. Carmo), Gonçalo Couceiro Feio, Gonçalo Pistacchini Moita, Guilherme d’Oliveira Martins, Humberto Nuno de Oliveira, Ismael Pereira Teixeira (O. Carmo), João Bernardo Galvão Telles, João José Brandão Ferreira, Joel Silva Ferreira Mata, D. José Saraiva Martins, Leonor Falé Balancho, Luís Adão da Fonseca, Margarida de Mello Moser, Miguel Côrte-Real, Miguel Metelo de Seixas, Nuno Castelo-Branco, Nuno V. Andradre, Paulo Jorge Estrela, Paulo Reis Mourão e Rodrigo Roquette.

São Nuno de Santa Maria - Por Portugal - e mais nada!

O mais recente trabalho de José Campos e Sousa será apresentado na Universidade Lusíada na próxima sexta-feira, dia 6 de Novembro. Um disco memorável de homenagem ao Condestável.


"Por mais um favor do Céu coube-me desta feita dar música e dar voz a muito do que se tem escrito em louvor de Dom Nuno Álvares Pereira, o Condestável, terror dos Castelhanos, verdadeiro Herói da minha infância.
Benditas 3ª e 4ª classes que em 1955/1956 trouxeram à minha vida, de maneira tão fantástica a tão fantástica vida de uma mão cheia de Homens, que começando em Viriato, ajudaram a erguer Portugal.
Dom Nuno é certamente um primeiro entre iguais. Já Fernando Pessoa na “Mensagem” lhe atribuiu no Brasão, o lugar cimeiro – o da coroa.
Vou lançar no próximo mês de Novembro uma edição de autor, “Por Portugal e Mais Nada”, título que roubei ao Rodrigo Emílio, que de várias maneiras está presente neste Torneio.
O Rodrigo desafiou-me para esta empresa, há uns bons oito anos, enchendo-me de folhas com poemas e textos sobre Dom Nuno, muito a seu jeito. Este projecto foi sendo adiado por uma razão ou por outra, e somente agora que o nosso Herói foi promovido a Santo, pelo Outro Rei, é que eu tive licença de o acabar. Tinha que ser assim!
É um CD para Portugueses admiradores e herdeiros e seguidores das formaturas de 1143, 1385, e 1640, gente que não tem por hábito pôr-se em bicos dos pés, que só aparece quando é necessária. Gente anónima, modesta, desinteressada e corajosa. Gente que não discute nem põe em causa Portugal, gente que dá sem receber. É para todos esses que eu canto!
Dediquei “Por Portugal – e Mais Nada” a S.A.R. o Senhor Dom Duarte, Duque de Bragança, décimo sexto neto de Dom Nuno e do Mestre de Avis. Faço-o por respeito, por admiração e, principalmente, por devoção a uma causa que precisa urgentemente de um novo Mestre que, como canta Rodrigo Emílio: – “Ponha a andar daqui o Andeiro!”.
A todos os que estiveram presentes no “Rodrigamente Cantando” e na “Mensagem à Beira–Mágoa” quero agradecer o apoio. Espero encontrar-vos de novo neste caminho Português.
“Por Portugal – e Mais Nada!”


Lisboa, Outubro de 2009
José Campos e Sousa

Este CD tem o preço é de €15 e pode ser encomendado através do seguinte endereço de correio electrónico: largodocarmo@gmail.com

Nun'Álvares na Lusíada

No próximo dia 6 de Novembro decorrerá na Universidade Lusíada de Lisboa um grande evento inteiramente dedicado ao Santo Condestável D. Nuno Álvares Pereira, que incluirá uma exposição da artista plástica Gabriela Marques da Costa, o lançamento do livro "Nuno Álvares Pereira - Homem, Herói e Santo" e do mais recente trabalho de José Campos e Sousa, o CD "São Nuno de Santa Maria - Por Portugal - e mais nada!". A não perder.

Europa Patria Nostra

domingo, 1 de novembro de 2009

Festa do Martelo


No próximo sábado, o grupo Amigos de Charles Martel organiza, perto de Nancy, a 5.ª edição da Festa do Martelo, em honra do herói Charles Martel e da vitória dos antepassados europeus contra a invasão maometana, em Outubro de 732. Pierre Vial, presidente da associação Terre et Peuple, e o escritor e jornalista Jean-Gilles Malliarakis, estarão presentes e serão os oradores numa conferência subordinada ao tema "A Turquia na Europa? Não, obrigado!".