quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Democrisia

Casos como o recente referendo na Suíça sobre a construção de minaretes põem a nu a hipocrisia dos "democráticos". Dois exemplos:

1. O silêncio dos grandes defensores do laicismo, sempre prontos a atacar a igrejas cristãs da Europa, mas que não tugem nem mugem quando se trata do avanço do islão. Como tão bem sintetizou Alberto Gonçalves na revista «Sábado» da semana passada: "o laicismo é um valor altamente estimável quando usado em benefício dos europeus, mas seria retrógrado, intolerável, fascista, nazi, etc. tentar impor o laicismo aos imigrantes que acorrem à Europa".

2. O total desrespeito dos "democráticos" perante a decisão democrática da maioria, quando não concordam com o resultado. Perante esta posição dupla sobre os referendos, sugerem prontamente a solução mágica: revotar. Isto até se conseguir o resultado pretendido, veja-se o recente caso da votação do Tratado de Lisboa na Irlanda. E viva a democrisia!

1 comentário:

  1. As crónicas do Alberto Gonçalves são cada vez mais recomendáveis.

    ResponderEliminar