terça-feira, 20 de outubro de 2009

Um jornal independente

A destoar da voz única da imprensa nacional, temos todas as terças-feiras «O Diabo». Para aguçar ainda mais a vossa curiosidade, revelo aqui algumas das matérias que me pareceram mais interessantes na edição de hoje desse semanário.

No seu habitual "fogo amigo", António Marques Bessa faz "um pequeno exercício sobre a política externa portuguesa", que afirma "tem-se revelado como unilateral, dependente dos USA e secundariamente dos governos, sem isenção para nenhum". Para o catedrático do ISCSP, os nossos governantes "ainda não perceberam que a política americana está errada e não devemos segui-la como cães de fila".

Nos artigos dos colaboradores habituais, o destaque vai para o de António Pina do Amaral, que analisa a "perspectiva revolucionária de Rolão Preto", demonstrando que "a ideia de que só a esuqerda é que é revolucionária nasce da incultura histórica de uns e da propaganda de outros". Acrescentando que, "a equação direita = conservadorismo é uma simplificação grosseira". A não perder.

Para além das notícias sobre a actualidade nacional, a opinião de Brandão Ferreira, Alberto João Jardim, entre outros, os comentários acutilantes de Fra Diavolo, bem como as "munições" de Henrique Afonso, referência para o artigo de Gonçalo Magalhães Collaço, "Da verdadeira bandeira de Portugal". Razões de sobra para comprar «O Diabo».

3 comentários:

  1. "perspectiva revolucionária de Rolão Preto", demonstrando que "a ideia de que só a esuqerda é que é revolucionária nasce da incultura histórica de uns e da propaganda de outros". Acrescentando que, "a equação direita = conservadorismo é uma simplificação grosseira".

    Só por este artigo já vale a pena.

    ResponderEliminar
  2. «O Diabo» melhorou bastante, sem dúvida, mas este artigo hoje foi uma óptima surpresa.

    ResponderEliminar