sexta-feira, 8 de maio de 2009

Não vai melhorar...

Quantas vezes ouvimos dizer que as situações de crescente tensão social e étnica noutros países europeus nada têm que ver com Portugal? Pois, para os que ainda andam adormecidos no sono do “país dos brandos costumes”, é preciso relembrar que, tendo obviamente em conta certas particularidades, mutatis mutandis temos aqui os mesmos problemas e consequências numa perspectiva global europeia. Com tendência a piorar.

Como não comparar as reacções no Bairro da Bela Vista à morte de um “jovem”, atingido pela GNR após um assalto, que ontem chegaram ao lançamento de “dois 'cocktails molotov' contra carrinhas do Corpo de Intervenção da PSP”, a casos praticamente idênticos em França, por exemplo?

Todo este desafio e ataque à autoridade só irão agravar-se, nomeadamente devido ao crescente sentimento de impunidade, alimentado pela comiseração de agremiações e políticos que vêem nos ditos “jovens” — discriminatoriamente — eternas vítimas, meros “bons selvagens” que a sociedade (i. e. nós) perverteu.

1 comentário:

  1. """a casos praticamente idênticos em França, por exemplo?"""

    Hà umas quantas diferenças entre Portugal e França que tenho notado neste caso e naquele do dito "Kuku".

    Em França nunca hà motins a respeito de gangs fazendo casos chamados em França de "grande banditismo" usando armas de fogo.

    O maior problema è a pequena delinquencia e o trafico de droga. Muito raro ver gangs de jovens armados com 18 ou 19 anos atacar bancos. Esse è um escalão reservado ao grande banditismo, e em caso de tirotéios com mortos, nunca houve motins.

    Outra diferença, foi a esquadra alvo de tiros, em França esquadras atacadas e incendiadas jà foram muitas, mas nunca com armas de fogo.

    Somente a tendencia està mudando para pior !

    Hoje em França hà poucos assaltos de bancos, devido ao sistema de segurança, duplas portas, tem que se fechar uma para abrir a outra sò quando o empregado carrega no botão, para saìr è igual.

    ResponderEliminar