sábado, 27 de setembro de 2008

Regresso a Tintin


1947 — 1966

Perante a actual crise económico-financeira internacional, o Mário Martins mostra-nos a actualidade de Tintin na sua sempre perspicaz Crónica de Nenhures, à qual se segue um oportuno exercício comparativo entre o original de A Estrela Misteriosa, de 1947, e a versão alterada, de 1966. Aos inventores de um Hergé politicamente correcto, o Mário contrapõe que o autor queria, na personagem de Tintin, simbolizar a luta entre o Bem e o Mal, mostrando a rivalidade pelo progresso entre a Europa de Tintin e os Estados Unidos da América de Blumenstein.

1 comentário:

  1. Caro Duarte
    Será que a História se repete?
    Abraço.
    Mário

    ResponderEliminar