segunda-feira, 9 de junho de 2008

Ainda o Latim

Quando leio que o “número de alunos a aprender Latim diminuiu 80% em dois anos” nas escolas portuguesas, só posso lamentar a forma como se vai atirando o nosso país para níveis inacreditáveis de ignorância. Já aqui relatei como reencontrei o Latim na parte curricular do mestrado e como me recordou os tempos de liceu. Tanto no ensino secundário como no superior tive Latim por opção. Esta é uma situação que critico desde quando frequentava o 1.º ano de Latim, no 10.º ano de escolaridade, considerando que devia ser, naturalmente, uma disciplina obrigatória. Obrigatória no secundário, mas também, logicamente, em muitos cursos superiores. Como aceitar que esta seja uma matéria opcional para as licenciaturas em História, Filosofia e Direito? E mesmo no campo das ciências, nos cursos de Biologia e Zoologia, por exemplo?

Ainda há dias, conversei com uma amiga que é agora professora num colégio particular onde se visa a excelência, que me disse que lá o Latim é “obviamente obrigatório”, para além da especial atenção dada às artes e ao desporto. Um verdadeiro “mundo à parte” do ensino público.

Sem comentários:

Enviar um comentário