quinta-feira, 7 de setembro de 2006

Profetas


Hoje reflecti sobre a invasão imigrante do terceiro mundo a nível mundial na minha outra casa blogosférica e lembrei-me do caso americano. Ao saber, através do V Dare, que o último livro de Pat Buchanan, “State of Emergency: The Third World Invasion and Conquest of America”, está no top de vendas da livraria Amazon, parece-me que, do outro lado do Atlântico, muitos começam a aperceber-se da dimensão da ameaça de que é alvo não só a América e a Europa, mas igualmente outros países desenvolvidos do mundo.

Mas o que motivou este post foi o recente artigo de Pat Buchanan, “Powell, Raspail: Prophets Without Honor?”, em que ele recorda dois profetas dos trágicos acontecimentos que vivemos hoje, mas que foram ostracizados pelo que disseram e escreveram. O discurso “Rivers of blood”, de Enoch Powell, proferido em 1968, e o livro “Le Camp des Saints[1], de Jean Raspail, publicado em 1973, são (re)leituras obrigatórias nos dias que correm. O primeiro deixou de ser um aviso para se tornar uma constatação, o segundo deixou de poder ser considerado ficção.

[1] Publicado em Portugal pelas Publicações Europa-América, em 1977, com o título “Mortos: 200 Milhões - Todos Nós”.

Sem comentários:

Enviar um comentário