segunda-feira, 26 de junho de 2006

O ciclo da vida

Depois da bonança, a tempestade… Foi o que aconteceu recentemente, numa inversão do provérbio popular. Depois de um nascimento que tanta felicidade trouxe à família, veio uma morte a mostrar, na sua implacabilidade e simplicidade, que o ciclo da vida se cumpre sempre, por vezes com tão curto intervalo que intensifica o sentimento de revolta perante a impotência e as interrogações que nos atemorizam. Da morte sabemos apenas que é uma certeza, mas apesar de a esperarmos nunca estamos à espera.

Guardo maravilhosas recordações de quem viveu para os outros, em especial para a família, para na recta final lutar e vencer quando tudo parecia perdido. Partiu, marcando-nos para sempre. O que o tempo pode atenuar, não poderá nunca apagar. Descansa agora em paz minha amiga, que a imortalidade conheceste-a felizmente em vida, na tua descendência.

9 comentários:

  1. Um forte e especial abraço de sentidas condolências.

    ResponderEliminar
  2. Meu Caro Duarte:
    Lamento, do fundo do coração, o falecimento de Alguém que Te é querido. Sempre irmanado a um Tal Amigo, nos momentos maus como nos bons, peço-Te que aceites um abraço apertado e fiel.

    ResponderEliminar
  3. Os meus sentimentos meu amigo.
    A vida às vezes é assim.Muita força de vontade.

    Abraços

    ResponderEliminar
  4. Um abraço forte e os meus sinceros sentimentos.

    ResponderEliminar
  5. Provavelmente sei quem faleceu....

    Duarte, recebe um forte abraco e as minhas condolencias.

    Do amigo Miguel

    ResponderEliminar
  6. Duarte, 1 abraço.
    Os meus sentimentos pelo falecimento da tua sogra.

    ResponderEliminar
  7. é pá não sei exactamente quem terá falecido mas pressuponho que alguem bastante proximo de ti.
    Um abraço do teu amigo (que hoje em dia nunca te vê, mas que não deixo por isso de ocasionalmente dar um espreitadela ao teu excelente blog).
    Condolencias.
    "Samir" (utilizo este nome caricato só para me identificares).

    ResponderEliminar