sexta-feira, 21 de abril de 2006

Sam Peckinpah

No bem conseguido suplemento de artes «6.ª», parte integrante do «Diário de Notícias» às sextas-feiras, o Eurico de Barros faz hoje o elogio do incontornável Sam Peckinpah, que considera um dos nomes mais injustamente secundarizados “nas muitas revisões do tempo em que o cinema americano quebrou os laços mitológicos com o seu classicismo”. De seguida, chama a atenção para a projecção da versão Director's cut de “Pat Garrett and Billy the Kid”, de 1973, uma cópia restaurada com mais 16 minutos de cenas, no IndieLisboa, o Festival Internacional de Cinema Independente que vai já na sua terceira edição. Uma óptima sugestão.

1 comentário: