sexta-feira, 17 de fevereiro de 2006

Aprovada a nova lei da nacionalidade

Como prometido pelo (des)governo, foi aprovada ontem a nova lei da nacionalidade. Com as habituais desculpas da “integração”, o critério do jus soli ganha cada vez mais força na atribuição da nacionalidade. Os pregadores da utopia multiculturalista insistem nestas medidas suicidas, apesar dos exemplos de conflitos violentos em vários países europeus, como a França.

Veja-se a ligeireza com que uma decisão destas foi tomada e como a imprensa a tem tratado. Parece que se trata apenas de mais um assunto corriqueiro, quando é o futuro do nosso Povo que está em causa.

Como escrevi em Julho do ano passado: “Este é apenas um passo, mas na direcção errada. E, passo a passo, caminhamos para a obliteração da nossa Nação.

4 comentários:

  1. Não querendo faltar ao respeito ou ser insolente face ao activismo dos nacionalistas, confesso que esperava uma maior oposição e mobilização das estruturas dos movimentos nacionalistas contra esta lei que é um marco histórico na desagregação da Nação Portuguesa.

    São sempre tão lestos em manifestações e mobilização de tudo o que são associações e organizações, e neste tema efectivamente essencial para o futuro da Nação, nada, rigorosamente nada.

    Esperava mais, apenas isso.

    ResponderEliminar
  2. O anónimo tem razão. Foi um lapso grave da nossa parte.

    NC

    ResponderEliminar
  3. ///

    --- O caminho a seguir NÃO É 'Baixar os Braços'...

    --- Para salvar a Identidade Europeia, o caminho a seguir... é... reivindicar o LEGÍTIMO Direito ao Separatismo...

    ///

    ResponderEliminar