sexta-feira, 30 de abril de 2004

Evolução

Em fim de Abril, deixo-vos um poema cujo título lembra a campanha warholiana custeada pelo (des)governo, que assim deu mais um tiro no pé.

Evolução Político-Biológica

Macaco e leopardo, fui pavão,
Crocodilo, hipopótamo e chacal!
Rinoceronte, zebra, mais leão,
Bizonte, javali, também pardal!

Rabanete e alface, fui feijão,
Cenoura, amendoim, lírio e coral!
Chá, girassol, café, uva e melão
E o mais lindo botão do roseiral!

Da fauna percorri o rumo à flora,
Não recuei nem ontem, nem agora!
Defendi-me com garbo e até a murro!

Fará de mim a Vida o que quiser,
Desde o ser bicho, pedra ou Lucifer!
Não serei verme, nem jamais um burro!

José de Vasconcellos e Sá
in “Poesia Política” (1980)

quinta-feira, 29 de abril de 2004

Empurrãozinho

O Último Reduto, o Nova Frente, O Sexo dos Anjos, A Casa de Sarto, o Cegos, Mudos e Surdos, o SG Buiça, o Política Pura e o Analiticamente Incorrecto, pelo que consegui apurar, já me linkaram (o que diria Rodrigo de Sá Nogueira se ouvisse este termo?).

Obrigado, é sempre bom ter 'aquele' empurrãozinho quando estamos a começar.

Obrigado também a todos os que manifestaram o seu apoio nos comentários ou através de correio-e.

Arrumações

Não se espantem aqueles que estiveram atentos às primeiras horas de vida deste blog. Isto é como mudar de casa: 'acho melhor pôr a televisão ali', 'este quadro é melhor naquela parede', etc., etc.

As coisas andaram um pouco de um lado para o outro: entra link, põe comentários, põe contador, etc.

Agora penso que já está bem encaminhado.

Bem sei que podia ter feito tudo isto antes, mas não resisti a abrir a minha casa aos amigos quanto antes.

Obrigado pela paciência.

quarta-feira, 28 de abril de 2004

Rodrigo Emílio

Faz hoje exactamente um mês que a Pátria perdeu o poeta Rodrigo Emílio, em sua memória deixo-vos um poema publicado em "Reunião de Ruínas", alusivo a esta época pós-abrilina, intitulado «Exílio»:

Será que vou quedar-me por aqui,
Até ao fim do meu fim?...

Ó bem-amado Reino em que nasci:
- Será que vou morrer longe de Ti?...

- Será que vou morrer longe de mim?!...

Born by popular demand

Confesso que o primeiro blog que acompanhei regularmente foi a defunta Coluna Infame. Gostei da realidade dos blogs e desejei que surgissem blogs próximos das minhas ideias.

Com muito agrado vi nascer o Último Reduto, um trabalho notável do qual me tornei fiel seguidor e colaborador. Daqui envio um sentido agradecimento ao meu amigo Pedro Guedes por partilhar connosco o seu maravilhoso reduto e por me ter aceite como blogger parasitário.

Depois de tantas pressões por essa blogosfera fora, decidi "largar as saias" do UR e concretizar um projecto que há muito estava na calha.

Nasce, assim, o meu blog pessoal. Espero que gostem, ou não, mas por favor digam-me.

O Pena e Espada é dedicado ao meu filho, como símbolo da geração futura, e espera os vossos contributos.